Cultura acessível e representativa. Esse é o objetivo da exposição “Com outros olhos: uma experiência de aprendizagem e interatividade”, que marca a participação do Museu da Misericórdia, da Santa Casa da Bahia, na Semana Nacional de Museus, que acontece de hoje (15) a 20 de maio, com entrada gratuita. Após o período, a mostra segue em cartaz até o dia 30, com ingressos a partir de R$ 3.

A exposição, que é aberta ao público em geral, mas especialmente pensada para cegos e pessoas com baixa visão, está sendo montada com o objetivo de promover a inclusão cultural. Durante a visita serão oferecidas experiências sensoriais em que peças, como a estátua do Marquês de Pombal e uma maquete do Museu, poderão ser tocadas. Equipamentos de tecnologia assistiva, que proporcionam ou ampliam habilidades funcionais de pessoas com deficiência, também fazem parte do acervo, que conta ainda com livros em braile, áudio-livros e publicações específicas para pessoas com baixa visão.

Toda a curadoria do projeto está sendo pensada exclusivamente para esta exposição, mas algumas peças – como a maquete – estarão disponíveis no museu permanentemente após o período da mostra. Com esta ação, o Museu pretende ampliar sua acessibilidade e fazer ainda mais ações voltadas para pessoas com deficiência visual. “Estamos querendo fazer isso de forma continuada, trazer este público para o museu”, afirma a museóloga responsável, Osvaldina Cézar. Os funcionários e monitores do Museu da Misericórdia receberam um treinamento especializado para atender o público.

Além da exposição, durante a Semana Nacional de Museus, também acontece a roda de conversa “Nada sobre nós sem nós – Um relato de experiências”, no dia 16 de maio, às 14h. Na ocasião, será abordado o tema “A inclusão socieducacional da pessoa com deficiência visual na cidade de Salvador: um relato de experiências”, com a participação de profissionais baianos cegos. Já no dia 18, das 9h às 12h, acontece a Sexta Cultural, que reúne uma apresentação do coral do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP), um bate-papo sobre acessibilidade e o lançamento do livro de poesias “Inclusão – Um Novo Olhar”, de Célia Fernandes de Oliveira.

Toda a iniciativa é uma parceria do Museu da Misericórdia com o apoio da Sessão de Braille da Biblioteca Central do Estado da Bahia, do Instituto de Cegos da Bahia e do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP).

 

 

Foto: Reprodução/Museu da Misericórdia