Vendedores e ambulantes que atuam no Centro Histórico de Salvador lotaram o auditório do Centro de Cultura da Câmara Municipal, na Praça Thomé de Souza, nesta terça-feira (18), para participar da palestra Empreendendo com $ucesso. A atividade foi promovida pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), em parceria com a Diretoria de Gestão do Centro Histórico e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O evento foi ministrado pelo técnico de Orientação de Negócios do Sebrae, Pedro de Santana. Ele começou a apresentação falando sobre as vantagens de ser Microempreendedor Individual e deu orientações de como os vendedores devem realizar abordagens adequadas no momento da comercialização de um produto. “O bom atendimento atrai o cliente. Se a abordagem for ruim, agressiva, consequentemente vai acontecer o contrário. A clientela vai acabar sendo afugentada”, disse o técnico, que exibiu um slide com 12 dicas referentes aos assuntos.

A palestra é parte de uma das ações do projeto de reordenamento da atividade informal no Centro Histórico de Salvador iniciada pela Semop, que consistirá na capacitação dos mais de 300 ambulantes que atuam no local, recadastramento dos profissionais e padronização de vestimenta. A capacitação dos profissionais será feita através de oficinas, que também serão ministradas pelo Sebrae a partir do dia 8 de outubro, e estará voltada para o cuidado com a imagem pessoal, tendo em vista uma melhoria na recepção e na qualidade do atendimento prestado a baianos e turistas.

No total, serão 10 turmas com cerca de 30 alunos em cada oficina, que terá carga horária de quatro horas. Todos os participantes receberão certificado de participação, além de um kit educativo de boas vendas, composto por vídeo e material impresso, que orienta o empreendedor a planejar, organizar e gerenciar o seu negócio com sucesso. As aulas ocorrerão na Sociedade Beneficente Montepio dos Artistas, localizada no Largo do Cruzeiro de São Francisco.

A participação nos cursos será condição necessária para o recadastramento de quem já atua no Centro Histórico, nas áreas das praças Cairu, Municipal e da Sé, bem como no Terreiro e Largo de São Francisco, além do Largo do Pelourinho. O titular da Semop, Marcus Passos, ressalta que a ação com os vendedores e ambulantes se associa às requalificações em infraestrutura realizadas pela Prefeitura na capital baiana nos últimos anos.

“Nada melhor também do que qualificar o atendimento pela demanda que vem surgindo em função da revitalização dos espaços públicos. É um curso amplo, que os ambulantes da região até então nunca tinham recebido. O objetivo é aperfeiçoá-los, promovendo seu crescimento pessoal e profissional e desenvolvendo o conhecimento para a gestão do seu próprio negócio”, afirmou Passos.

Presente na palestra “Empreendendo com $ucesso”, a baiana de acarajé Miraci Marinho da Paixão, 60 anos, monta seu tabuleiro há quase três décadas no Monumento da Cruz Caída. Ela conta que apesar de muito tempo na profissão, as atividades realizadas pela Prefeitura tem dado a ela o aprendizado de novos conteúdos. A pipoqueira Suzana Cavalcante, 48, vende há três anos defronte ao Centro de Eficiência Energética da Coelba, na Praça da Sé, e revela que se sente mais valorizada. “Acho que esse cuidado que a Prefeitura está tendo foi a melhor coisa que pôde acontecer nesse período que estou aqui. Essa organização está sendo ótima. Não estamos ‘largados'”.

Fardamentos – A Semop realizará ainda a distribuição de novos fardamentos aos ambulantes devidamente recadastrados, que terão um número de identificação vinculado à licença. A vestimenta também terá cores variadas para identificar a área onde cada um atua. No caso dos artistas de rua, como as trançadeiras e pintores tribais, será desenvolvido um avental específico para facilitar a atuação dos mesmos no manuseio dos cabelos e na pintura dos clientes.