O dólar opera em queda nesta sexta-feira (19), após fechar em alta no dia anterior, interrompendo uma sequência de três recuos seguidos. O mercado repercute o cenário eleitoral, após pesquisa Datafolha divulgada na noite anterior.

Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
Às 9h03, a moeda norte-americana caía 0,7%, vendida a R$ 3,6943. Veja mais cotações.

No dia anterior, a moeda norte-americana terminou o dia em alta de 1,11%, vendida a R$ 3,7222.

Perspectivas
Desde agosto, a moeda norte-americana vinha se mantendo acima de R$ 4, em meio a incertezas sobre a corrida eleitoral e também ao cenário externo mais turbulento, o que fez aumentar a procura por proteção em dólar.

Nas últimas semanas, porém, a expectativa de que a cautela iria predominar nos mercados foi substituída por ajuste de posições e uma intensa queda da moeda, em meio ao resultado do 1º turno e expectativas sobre o desfecho da corrida eleitoral.

O mercado prefere candidatos com viés mais reformista e liberal, e entende que aqueles com viés mais à esquerda não se enquadram nesse perfil. E cresce entre os investidores a percepção de que o país poderá ser governado por alguém com um perfil mais alinhado às suas preferências.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 recuou de R$ 3,89 para R$ 3,81 por dólar, segundo previsão de analistas de instituições financeiras divulgada por meio de boletim de mercado pelo Banco Central nesta semana. Para o fechamento de 2019, caiu de R$ 3,83 para R$ 3,80 por dólar.

A despeito das persistentes incertezas para a economia brasileira, alguns especialistas apontam que uma nova rodada de queda do dólar no curto prazo não é descartada. Mas seria preciso um movimento bastante intenso de busca por risco no exterior ou uma nova onda de euforia com o futuro cenário político e agenda de reformas.

Fonte: G1