O panorama do mercado financeiro, no dia de hoje (14), mostrou muita cautela dos investidores em relação à situação fiscal do Brasil, que culminou com o adiamento, por parte do governo, do anúncio de novos números. Há um impasse entre a ala política e a equipe econômica em relação à fixação de dados. Um elemento que causa muita insegurança, no ambiente de negócios, é o aumento do déficit primário.

Em termos de setor externo, o clima melhorou diante do esfriamento das tensões geopolíticas entre os EUA e a Coréia do Norte. Desta forma, os números de hoje, no Brasil, foram:

O Ibovespa terminou o pregão avançando 1,37%, a 68.284 pontos.

O dólar teve alta de 0,88%, vendido a R$ 3,202. Esta foi a maior cotação moeda norte-americana desde 13 de julho, R$ 3,2082 à época.

O euro valendo R$ 3,758, na estabilidade.