Mesmo na baixa estação, conforme relatório apresentado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), o mês de julho apresentou um crescimento de 7,6% na taxa média de ocupação hoteleira de Salvador em 2017, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

 

De acordo com o titular da Secult, Claudio Tinoco, com a divulgação de novos investimentos da cidade, além do início da promoção do calendário de verão neste segundo semestre, a expectativa é que o fluxo turístico em Salvador cresça significativamente antes mesmo do início da alta temporada. “Esse índice é a confirmação de uma projeção, que fizemos no início do ano, da tendência na melhoria do fluxo de turistas. Claro que também é um reflexo na melhoria do cenário econômico, fazendo com que o turismo de lazer tenha sido aquecido nesse período”, pontuou Tinoco. O mês de julho favorece o turismo nacional, pois coincide com o período de férias nas regiões Sul e Sudeste do país, quando os viajantes buscam alternativas de lazer e entretenimento e são atraídos também pelo clima agradável desta época na capital.

 

Além do Centro Histórico, outras áreas e pontos turísticos da cidade apresentam destaque de visitação nesta época do ano, a exemplo da Igreja do Bonfim, Barra, Rio Vermelho, Casa do Rio Vermelho e fortes Santa Maria e São Diogo. A Secult estima que, durante a baixa estação, 84,4% dos turistas que visitam Salvador são nacionais (60,4% do interior da Bahia e 39,6% de outros estados) e 15,6% tem origem de outros países. Entre os estados brasileiros que mais emitem visitantes à capital baiana estão São Paulo, Rio de Janeiro, Sergipe, Pernambuco e Distrito Federal. Já no ranking dos países estão as nações da Argentina, Alemanha, Estados Unidos, Espanha e França.

 

Para estimular o fomento da economia para os próximos meses, a Prefeitura, por meio da Secult e em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (Abih), promove uma capacitação turística para impulsionar a venda de Salvador como destino turístico. Esse trabalho visa atualizar os profissionais que trabalham em agências de viagens, por exemplo, sobre os atrativos e novidades que a cidade dispõe para receber o turista. Dentre eles estão os novos trechos de orla requalificados, que integram uma belíssima paisagem, e equipamentos culturais como os espaços Pierre Verger da Fotografia Baiana e Carybé das Artes, além da Casa do Rio Vermelho.

 

A capacitação já ocorreu em São Paulo e Campinas (SP) e, em setembro, chega ao Rio de Janeiro (RJ). Neste mesmo mês, entre os dias 18 a 25, a atividade será realizada nas respectivas metrópoles francesa e espanhola, Paris e Madri. Serão apresentadas às operadoras turísticas internacionais as novidades em estrutura, cultura e lazer disponíveis para quem deseja aportar na capital baiana nos próximos meses.

 

Até o final do ano, mais cinco ações serão realizadas nas cidades de Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre e Caxias (RS), e também em Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, no Chile. Além disso, alguns eventos devem atrair visitantes para Salvador no próximo trimestre. Um deles é o show do ex-Beatle Paul McCartney, que ocorre em outubro. Segundo Cláudio Tinoco, o evento deve atrair 15 mil visitantes no final de semana.

 

Para orientar os turistas que chegam à região do Centro Histórico – além de possibilitar maior sensação de segurança – a Guarda Civil Municipal (GCM) mantém o Grupo de Apoio ao Turista (GAT). A área de atuação tem início no Santo Antônio Além do Carmo e segue até a Praça Castro Alves.

 

 

Centro histórico de Salvador (Jeferson Peixoto/Secom-PMS)