Por pouco, muito pouco, o Bahia não saiu de Porto Alegre com três pontos a mais na conta na noite deste sábado. Diante do Grêmio, o Tricolor baiano conseguiu abrir 2 a 0 de vantagem (dois gols marcados por Élber), mas viu Jackson ser expulso no segundo e, após marcação de um pênalti a favor da equipe gaúcha, acabou cedendo empate ao dono da casa.

Após a partida, a revolta de torcedores e jogadores do Bahia com a arbitragem de Rodolpho Toslki Marques era explícita. Nas redes sociais, o clube se posicionou de maneira irônica (confira postagens abaixo). O presidente da equipe, Guilherme Bellintani, está em Porto Alegre com a delegação e não demorou a se manifestar. Foi categórico: definiu a arbitragem desta noite como “vergonha” e disse que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deveria suspender a competição.

– Queria muito saber o que sustenta a atual comissão de arbitragem. A CBF deveria suspender o campeonato e pedir aos juízes que declarem vencedores e perdedores dos jogos que faltam. Eles estão decidindo o campeonato. Uma vergonha – disse o presidente.

O vice-presidente, Vitor Ferraz, também se posicionou. No Twitter, ele chamou o episódio desta noite de “escândalo na arbitragem brasileira” e perguntou se a CBF tomaria providências a respeito.

– ATENÇÃO @CBF_Futebol , mais um escândalo na arbitragem brasileira. Qual a providência que irão tomar? Vão se calar mais uma vez? Vao continuar se esquivando da implementação do VAR? O futebol brasileiro agoniza. Parabéns! – escreveu o dirigente.

Na beira do gramado, o porta-voz do grupo foi o zagueiro Lucas Fonseca, que adotou tom comedido, mas não deixou de ser claro em sua opinião: disse que Bahia e Grêmio foram tratados de formas diferentes pelo árbitro Rodolpho Toslki Marques.

– Diria que não é nem fazer história [por buscar vencer o Grêmio fora de casa]. Futebol brasileiro está chegando num nível que fator externo não pode influenciar. País que parou no tempo no futebol. Tem coisa que a gente não pode falar. Acredito que não tenho capacidade de julgar a arbitragem, mas um jogo desse, difícil, a gente conseguindo o resultado… Teve o lance do Jackson que acabou expulso. Tiveram inúmeras faltas para o Grêmio que ele poderia dar cartão e não deu. Para a gente, ele deu. No início do ano, veio comissão de arbitragem falar. Dentro do campo é difícil. Eles trataram uma equipe de uma maneira e uma equipe de outra. Não é só a gente reclamando, é todo mundo reclamando – afirmou o zagueiro, em entrevista ao Sportv.

Lucas Fonseca critica arbitragem contra o Grêmio: “Futebol brasileiro parou no tempo”

As reclamações a respeito da arbitragem começaram ainda no primeiro tempo, sob alegação de que Tolski Marques não marcava faltas a favor do time baiano e devido aos cartões amarelos aplicados contra atletas da equipe. Na segunda etapa, Jackson acabou levando a segunda advertência depois de um lance com Juninho Capixaba e foi mais cedo para o chuveiro. No finalzinho do jogo, o árbitro assinalou pênalti de Gregore em Marinho, e Jael converteu.

Fonte: G1