A segunda partida da final da Libertadores, entre River Plate e Boca Juniors, será disputada no domingo, às 18h (de Brasília). A Conmebol anunciou o adiamento do jogo, que seria realizado neste sábado, depois que o ônibus do Boca foi atacado por torcedores do River na chegada ao estádio Monumental de Núñez.

O anúncio, no entanto, se deu após horas de indefinição. O duelo estava inicialmente marcado para 18h (de Brasília). Com a confusão, a Conmebol atrasou o início em uma hora (seria às 19h, portanto); e depois, em mais 1h15 (às 20h15). A confirmação do adiamento foi anunciado somente por volta de 20h30.

A postura do Boca Juniors desde o início do tumulto foi de insistir no discurso de que a partida não poderia acontecer neste sábado. Pablo Pérez e Lamardo, jogadores do Boca, se machucaram com estilhaços da janela do ônibus e precisaram ser atendidos no hospital. Ambos voltaram ao estádio com um curativo no olho.

Médico do Boca Juniors, Dr. Jorge Pablo Batista compartilhou imagens do atendimento a Pérez e Lamardo. Ficou diagnosticado que o primeiro sofreu uma úlcera no olho esquerdo.

 

Além disso, de acordo com a imprensa argentina, seis jogadores do time xeneise vomitaram no vestiário em decorrência do gás de pimenta utilizado pela polícia na tentativa de conter a confusão. Carlitos Tevez, momentos antes da notícia do adiamento do jogo, relatou o drama aos jornalistas presentes.

– Entendo que exista muita pressão em todos os presidentes neste momento, mas acredito que eles precisam fazer o seu trabalho. Eles viram bem, está tudo filmado. Eu vomitei, minha garganta ardia, agora estou com dor de cabeça. Temos três companheiros que não estão bem fisicamente, não podemos acreditar no que está acontecendo – disse ele.

Fonte: G1