Está no UOL esporte Futebol por Bruno Grossi, Dassler Marques e José Eduardo Martins:

 

O São Paulo ainda negocia a forma como vai fazer o pagamento da contratação do goleiro Jean, que deve ser oficializada apenas depois da eleição presidencial do Bahia, marcada para o dia 9. Destaque neste Campeonato Brasileiro, o arqueiro tem contrato com o Tricolor baiano até o fim de 2019 e está avaliado em R$ 15 milhões. Como o Bahia é dono de 70% dos direitos, deve receber cerca de R$ 10 milhões. Os paulistas querem pagar em dez parcelas e envolver um jogador na transação para reduzir o valor.

No caso, o São Paulo ofereceu o lateral direito Bruno. Porém, os baianos acharam alto o salário do ala e se mostraram preocupados com a lesão apresentada pelo jogador neste semestre. Por conta de cervicalgia (dores nas costas), o lateral não entra em campo desde o dia 3 de agosto, ainda pelo primeiro turno do Brasileiro, na derrota para o Coritiba.

O time paulista também cogitou ceder o lateral esquerdo Matheus Reis, que já está emprestado à equipe de Salvador até o fim deste ano, mas o Bahia não mostrou interesse em renovar tal vínculo. O atual mandatário do Tricolor baiano, Marcelo Sant’anna, que conduziu a negociação, não será candidato à reeleição e, por isso, não quis assinar a transação de Jean e bater o martelo de quem será o jogador emprestado pelo São Paulo.

O lateral, Bruno, era bem avaliado pelo departamento de futebol do São Paulo no início deste ano, tanto que ampliou o seu contrato até 31 de dezembro de 2018. Na época, o jogador, de 32 anos, havia sido sondado por outras equipes. Porém, com o decorrer da temporada, ele perdeu espaço por conta das contusões e de atuações abaixo do esperado.

Por isso mesmo, Bruno deixou de fazer parte dos planos de Dorival Júnior e da diretoria para 2018 e deve ser envolvido em alguma negociação.

 

Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net