Até 26 de janeiro, o Balé Teatro Castro Alves (BTCA) oferece gratuitamente duas turmas especiais com 45 vagas para dançarinos de nível intermediário e avançado. O objetivo é aproveitar o período de férias para estimular e colaborar no aperfeiçoamento de profissionais baianos. As aulas são realizadas na Sala de Ensaio do Piso C, do TCA, e as inscrições ficam abertas até que o total de vagas seja preenchido.

O professor Gilmar Sampaio, responsável pela preparação de inúmeros bailarinos para companhias de dança no Brasil e no exterior, ministra a oficina das 10h às 11h30. Ele explica que a oficina é voltada para um público que já possui experiência com dança, nos moldes que é realizado pelo BTCA durante o ano. “Queremos aproveitar toda a estrutura que o BTCA oferece e disponibilizá-la para os dançarinos, principalmente quem está de férias e quer conhecer o espaço e os professores que a companhia oferece”.

Para o dançarino Vinicius Ferreira, o curso é um momento importante de aprendizado. “É uma oportunidade de aprender de perto com professores tão competentes. É algo que, sem dúvida, acrescenta muito para nossas carreiras. Conhecimento é sempre bem-vindo e essa iniciativa de oferecer as oficinas gratuitas é muito bem vista por nós. É uma honra poder participar e aprender cada vez mais”.

O BTCA faz 35 anos em 2018, com uma história e um nome reconhecidos nacionalmente e também fora do Brasil. Ao longo dos anos, o Balé tem criado projetos para expandir o campo de ação, como explica o diretor artístico do BTCA, Antrifo Sanches. “Levamos nossos projetos para que alcancem outros lugares e cheguem às ruas, buscando uma relação direta com a comunidade. Queremos que as pessoas possam não apenas assistir, mas participar e interagir com a gente.”

Antrifo acrescenta que outros projetos estão sendo realizados para que as comunidades tenham experiências com a dança. “Estamos coordenando dois núcleos em parceria com a Escola de Dança da Fundação Cultural da Bahia [Funceb], um no Engenho Velho de Brotas e outro em Lauro de Freitas. Desde o ano passado, nós também estamos desenvolvendo o projeto chamado ‘Roda de Diálogos, o Bailarina em Pauta’, para discutir com as pessoas temas diversos sobre a dança”.

Foto: Elói Correa / GOVBA Divulgação