Em sua coluna na Folha de S.Paulo desta sexta-feira (23/02), Mônica Bergamo diz que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, já está enviando emissários para conversar com marqueteiros que possam trabalhar em sua eventual campanha presidencial.

De acordo com a colunista, Meirelles teria sondado o publicitário baiano Duda Mendonça para saber se ele aceitaria trabalhar com ela na corrida ao Palácio do Planalto. Duda teria dito que sim.

Ainda de acordo com Mônica Bergamo, Meirelles espera a definição de uma possível candidatura de Michel Temer para saber se sai do ministério e se lança na campanha. O problema é que, pela lei, ele tem até abril para tomar a decisão. O presidente pode esperar até julho, data das convenções partidárias.

O desejo de Temer de ser candidato à reeleição esbarra em seu próprio partido, o MDB. Conselheiros do presidente acreditam que os parlamentares da legenda vão rejeitar a ideia caso ele siga com 1% das intenções de voto e seu governo, desaprovado por 70%.

Nesse caso, o percentual irrisório dificultaria alianças estaduais, além de “queimar” a imagem dos parlamentares.

Segundo a colunista, a força da caneta de Temer no cargo poderia se contrapor ao péssimo desempenho nas sondagens eleitorais. Mas o piso mínimo que ele precisaria atingir para que isso ocorra seria o de 10% nas pesquisas.