Em sua coluna na Folha de S.Paulo deste sábado (09/09), a jornalista Mônica Bergamo conta que a delação do ex-ministro Antonio Palocci, que aponta os ex-presidentes Lula e Dilma como envolvidos em crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, foi duramente criticada pelo companheiro de partido José Dirceu.

Segundo a colunista, José Dirceu (com duas condenações da Lava Jato, uma delas a 11 anos de prisão por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro) afirmou que prefere  morrer antes de delatar como tenta fazer o ex-ministro Antonio Palocci (ex-homem-forte do PT, que foi ministro de Dilma e de Lula).

“Só luta por uma causa quem tem valor. Os que brigam por interesse têm preço. Não que não me custe dor, sofrimento, medo e às vezes pânico. Mas prefiro morrer que rastejar e perder a dignidade”, afirmou José Dirceu, questionando Palocci que diz que Lula esteve envolvido diretamente com o recolhimento de propinas para o PT.

Fotomontagem