No próximo dia 22 de março, comemora-se o Dia Mundial da Água. A data foi instituída em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma forma de mobilizar a comunidade internacional para questões associadas à conservação e valorização dos recursos hídricos. Considerado um bem de domínio público e recurso natural limitado, pensar maneiras de garantir a preservação da água constitui um dos principais desafios em relação à sustentabilidade na contemporaneidade.

Em Salvador, o Hospital Santa Izabel, da Santa Casa da Bahia, é um exemplo desse movimento de preservação através de um programa contínuo de ações voltadas para a gestão e o uso eficiente da água. Em 2017, graças a um conjunto de iniciativas, o hospital conseguiu reduzir em 32% o volume de água consumido no ano em relação a 2016 – ou, mais especificamente, 56.742.000 litros.

Segundo o Sistema de Informação Municipal de Salvador, o consumo médio diário de água na capital em 2012 foi de aproximadamente 150 litros por habitante. De acordo com Kátia Belchior, engenheira ambiental da Santa Casa, levando-se em conta esse dado e uma estrutura familiar de quatro pessoas, a redução alcançada no Hospital Santa Izabel seria capaz de abastecer 263 famílias em um ano.  “Ou até mesmo o município baiano de Milagres, que tem mais de 10 mil habitantes, por um dia”, afirma.

Os desperdícios de água são evitados por meio desse monitoramento diário do consumo dentro do hospital e dos níveis dos reservatórios. Hidrômetros internos foram instalados a fim de gerenciar o consumo da cada unidade e identificar possíveis vazamentos ao longo da rede, permitindo a devida correção. Além disso, houve treinamento dos colaboradores ligados à Gerência de Manutenção do hospital para intensificar o auxílio na identificação de perdas de água e disseminação do consumo consciente.

Paralelamente a essas ações, funciona no Santa Izabel, desde 2016, uma estação de tratamento de água (ETA) para requalificação da água subterrânea, com a devida autorização dos órgãos ambientais competentes. Encontra-se também em desenvolvimento no hospital projetos para o reaproveitamento da água da chuva e o reuso de água industrial nas áreas da Lavanderia e Nutrição do hospital. O objetivo é conseguir um reaproveitamento de 50% da água.

Gestão da qualidade

No Hospital Santa Izabel, a água fornecida pela concessionária também passa por um sistema de requalificação e monitoramento diário da qualidade, feitos por meio da coleta, controle e análise em laboratório, conforme legislação vigente, a fim de minimizar os riscos de infecção e contaminação.

As iniciativas do Hospital Santa Izabel para gestão e uso eficiente da água já foram reconhecidas durante a 3ª Conferência Latino Americana da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, realizada em outubro de 2017.

 

Foto: Reprodução