Um dos mais conhecidos (frequentado e usado) cartões postais da Bahia, que dá sentido à existência da Cidade Alta e Cidade Baixa na capital baiana, o Elevador Lacerda surgiu com sua imponência e foi batizado como Elevador da Conceição, por estar localizado próximo à Igreja de Nossa Senhora da Conceição. O equipamento foi inaugurado no dia 8 de dezembro de 1873, Dia de Nossa Senhora da Conceição.

Seu idealizador foi o empresário Antonio Lacerda (vem daí o merecido nome atual), nascido em 1834 e falecido em 18885, que chegou a cursar engenharia no tradicional Rensselaer Polytechnic Institute, em Nova York. Para construí-lo, contou com a ajuda do irmão Augusto Frederico de Lacerda, que estudou engenharia com Antonio, concluiu o curso e torou-se engenheiro no mesmo instituto.

Para colocar o plano de construção do elevador em prática os irmãos Antonio e Augusto recorreram ao pai, Antônio Francisco de Lacerda, que financiou a arrojada e ousada obra que resiste até os tempos atuais, após várias reformas de engenharia.

A construção foi iniciada em 1869, sendo um grande desafio de engenharia para a época. Foi necessário a perfuração de dois túneis em rocha, um vertical, para abrigar a primeira torre, e outro horizontal, para dar acesso à rua.

Inicialmente foi inaugurado em 1873, com o nome de Elevador Hydraulico da Conceição da Praia, com apenas uma torre. Foi popularmente chamado de Elevador do Parafuso. Usava equipamentos da companhia inglesa Hoisting Machinery.

O velho e resistente Lacerda foi o primeiro elevador no mundo a servir de transporte público e o mais alto desse tipo. A receita desse primeiro dia de funcionamento (477$800) foi doada ao Asilo dos Expostos da Santa Casa da Misericórdia.

O equipamento, muito usado diariamente por nativos e turistas, lega a Praça Thomé de Souza, na ‘Cidade Alta’, à Praça Cayru, no bairro do Comércio, então ‘Cidade Baixa’. Hoje, possui duas torres, quatro cabines e 73,5 metros de altura.

O Elevador Lacerda, esse gigante menino tem capacidade total para 128 pessoas, nas quatro cabines, e a viagem dura 22 segundos. Transporta, em média, mais de 750 mil pessoas por mês, funcionando 24 horas por dia.

O Lacerda foi estatizado em 1955, Prefeitura de Salvador.