Em tempos de violência crescente e assustadora no Rio de Janeiro tem quem prefira guardar dinheiro em casa e não no banco, como faz a maioria das pessoas e com pequenas quantias. Exemplo disso é Octacílio de Almeida Monteiro, que guardava em sua residência a bagatela de R$ 2,2 milhões. Sem esquecer os US$ 5,4 mil e os sete mil euros. Octacílio, que estava preso pela Operação Pente Fino, foi solto no sábado (19/08) por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

Em nota publicada em sua coluna, o jornalista Lauro Jardim (O Globo) informa que o dinheiro, apreendido pela Polícia Federal, estava guardado em sacolas. Só para lembrar, Octacílio Monteiro é investigado por suspeita de participar do esquema de propinas na Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor). Segundo a PF, o montante gira em torno de R$ 260 milhões.

O ministro também mandou para casa outros acusados de participaram dos esquemas que beneficiaram a quadrilha do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que está preso. Foram eles: Enéas da Silva Bueno, Cláudio Sá Garcia de Freitas e Marcelo Traça Gonçalves.

Ministro Gilmar Mendes / Foto: STF / Divulgação