O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, anunciou nesta terça-feira (22) no Palácio do Planalto que o governo eliminará o tributo que incide sobre o diesel e acabará em 2020 com a desoneração da folha de pagamentos em todos os setores (veja no vídeo acima).

A medida é anunciada em meio a protestos em todo o país contra o aumento no preço dos combustíveis.

Segundo Guardia, o governo fechou um acordo com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), para eliminar a cide e, paralelamente a isso, o Congresso aprovará o projeto de reoneração da folha.

Se o projeto de reoneração for aprovado, o Legislativo fará, na prática, que haja aumento nas receitas da União, que, em troca, cortará o tributo incidente sobre o diesel.

“Hoje fechamos um acordo com os presidentes da Câmara e do Senado e o que acordamos é que iremos eliminar a Cide incidente sobre o diesel e, ao mesmo tempo, o Congresso irá aparovar um projeto de reoneração da folha”.

Guardia, em seguida, acrescentou: “A partir de dezembro de 2020, nenhum setor contará com o benefício da desoneração da folha. De hoje até dezembro de 2020 nós manteremos alguns setores com a desoneração.”

Arredacação com a Cide

Segundo a assessoria do Ministério da Fazenda,a arrecadação anual com a Cide sobre o diesel é de cerca de R$ 2,5 bilhões.

Ainda segundo a pasta, a alíquota atual da Cide sobre o diesel é inferior R$ 0,05 por litro.

Foto: reprodução Globo News