O taxista João Teles Martins, 62 anos, foi um dos primeiros profissionais da categoria que compareceu à Cotae nesta segunda. Ele atua na área há 40 anos e contou que o procedimento é uma forma de “garantir que seja prestado um serviço de qualidade à população”.

Os fiscais analisaram requisitos de padronização, como as faixas coloridas laterais, estado de conservação do automóvel, pneus e itens de segurança, a exemplo do triângulo, chave de roda e estepe, além da documentação exigida para que o táxi possa circular na cidade. O Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro) também verifica a situação do taxímetro para garantir que o aparelho esteja de acordo com as normas estabelecidas.

“É sempre indispensável esse tipo de inspeção porque dá ao profissional e ao passageiro respaldo de que o táxi está em boas condições para rodar. A população fica segura ao saber que fomos vistoriados e estamos de acordo com a lei”, pontuou o presidente da Associação Geral dos Taxistas, Dennis Paim.

Para o titular da Semob, Fábio Mota, essa inspeção irá possibilitar aos soteropolitanos maior tranquilidade ao utilizar os táxis em sua rotina. “Quando a Prefeitura checa os itens, documentos e emite o selo de qualidade, aquele carro está apto, ou seja, ele passou por todos os critérios exigidos pelas legislações municipal, estadual e federal. Além disso, também é analisado o motorista. A Prefeitura fica sabendo quem ele é e se tem a qualificação exigida após a conferência dos documentos pessoais e dos antecedentes criminais. Isso é importantíssimo porque o transporte se torna seguro”, enfatizou o gestor.

Procedimento – O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h30 e das 13h às 16h30. O valor da inspeção é de R$ 81,79, e aquele que não apresentar o veículo na data marcada pagará multa de R$ 32,95. A expectativa é que sejam vistoriados, por dia, uma média de 100 veículos. No ato da vistoria, os autorizatários devem apresentar certificado da última aferição, cartão de identificação, selo GNV, pagamento da contribuição sindical, licenciamento atualizado e licença de veiculação do Engenho de Publicidade em Táxi. Devem levar ainda documentos pessoais como comprovante de residência, carteira de identidade e de habilitação.