Em seu discurso de posse na Procuradoria-Geral da República (PGR), a procuradora Raquel Dodge disse que “a harmonia entre os Poderes é requisito para a estabilidade da nação […] Os valores que defenderemos e definirão nossas ações estão na Constituição. Muito trabalho, honestidade, observância do devido processo legal são os atributos da cidadania”. A solenidade ocorreu na manhã desta segunda-feira (19/09) na sede da PGR, em Brasília, e contou com a presença do presidente Michel Temer.

“O Ministério Público zela pelos direitos de índios e minorias, pela liberdade de religião e de credo. A cada dois anos nos reunimos nesta casa e reafirmamos a esperança de dias melhores e o nosso compromisso de agirmos com unidade de propósito de cumprir o nosso dever constitucional”, prosseguiu a procuradora-geral.

Também participaram do evento a ministra Cármen Lúcia, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), e os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE). Como havia antecipado, o ex-procurador-geral Rodrigo Janot não compareceu à solenidade.

Diferentemente de seu antecessor, Raquel Dodge deve adotar a discrição no comando da PGR. Segundo assessores, a palavra de ordem no início da nova gestão deve evitar o protagonismo de sua cadeira na Operação Lava Jato.

Raquel Dodge – Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil