Neste mês o governo inicia uma nova fase da Operação Pente Fino, que apura irregularidades na concessão de benefícios de aposentadoria por invalidez. Mais de 200 mil benefícios de segurados que recebiam o auxílio-doença passaram por auditoria e 160 mil tiveram seus auxílios-doença cancelados, ou seja, oito de cada 10.

A proposta é de reavaliar 530 mil benefícios por auxílio-doença que há mais de dois anos não tinham se submetido a avaliação médica. Em breve, serão chamados os aposentados por invalidez. Os idosos, com mais de 60 anos, ficarão de fora. Serão convocados 1,005 milhão de aposentados por invalidez, começando pelos mais jovens.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informa que a Operação Pente-Fino já permitiu uma economia de R$ 2,6 bilhões para os cofres públicos.

O governo tem até dezembro para concluir a revisão dos benefícios. O cronograma varia de estado para estado e vai depender da capacidade de atendimento e da quantidade de benefícios vinculados a cada agência.

Foram convocados 55.152 segurados para reavaliação do benefício concedido por auxílio-doença. Diante da impossibilidade de localizar, pelos Correios, por alguma inconsistência no endereço, foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (1) a lista com os nomes dos convocados, que vai da página 96 até a 235 da Seção 3.  No caso de não comparecimento na data agendada, o benefício será suspenso.

A informação oficial é de que, até então, foram enviadas 435 mil cartas de convocação, e 20,3 mil benefícios por auxílio-doença já foram cancelados devido ao não comparecimento dos segurados.

Ao todo, serão convocados 1,5 milhão de pessoas que há mais de dois anos estão sem perícia. Dessas, 530 mil recebem o auxílio-doença e mais de 1 milhão são aposentados por invalidez com menos de 60 anos.