Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo o ministro Luiz Fux disse que não ver sentido em uma candidatura de candidato com denúncia. Perguntado sobre uma candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fux foi claro em sua opinião.

“Pode um candidato denunciado concorrer, ser eleito, à luz dos valores republicanos, do princípio da moralidade das eleições, previstos na Constituição? Eu não estou concluindo. Mas são perguntas que vão se colocar”, disse Fux, que presidirá o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de fevereiro a agosto de 2018.

Para o ministro, algumas questões vão ser colocadas: a primeira, a da Lei da Ficha Limpa [que diz que condenados em segunda instância são inelegíveis]. “A segunda é decorrente da Constituição. Ela estabelece que, quando o presidente tem contra si uma denúncia recebida, ele tem que ser afastado do cargo”, afirma.

Prosseguindo, Luiz Fux afirmou que “ora, se o presidente é afastado, não tem muito sentido que um candidato que já tem uma denúncia recebida concorra ao cargo. Ele se elege, assume e depois é afastado?”, questiona.

Luiz Fux – Foto: EBC Divulgação