A partir desta quinta-feira (30), os agentes de combate às endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), em parceria com colaboradores da Limpurb, realizarão mais uma edição do mutirão de limpeza, dessa vez na região do Cabula, dando ênfase nas ruas dos bairros de Pernambués e Saramandaia.

 

Durante a mobilização, das 8 às 15 horas, os moradores das ruas Paratinga, Amargosa, Carianha, Siridão Durval e Portiguara, no bairro de Pernambués deverão colaborar com a iniciativa descartando entulhos e materiais inservíveis que podem ser colocados em frentes as suas casas para recolhimento. O ponto de partida na localidade é a praça Arthur Lago. Já no bairro de Saramandaia, a ação ocorre no Colégio Estadual Kleber Pacheco na rua Numa Pacheco.

 

“Estamos mantendo as ações de rotina como os mutirões de limpeza nos bairros prioritários, em parceria com a Limpurb. Nessa mobilização, intensificamos as visitas casa a casa, além de trabalhos de manejo ambiental, limpeza, remoção e descarte de lixo ou quaisquer outros materiais que possam se tornar criadouros nessas localidades”, explicou Geruza Morais, diretora de Vigilância à Saúde.

 

Apesar dos esforços das equipes de contingência do Aedes da Prefeitura que resultaram na redução de 72 (abril/2017) para 22 (outubro/2017) o número de bairros com alto risco para uma eventual epidemia da zika, dengue e chikungunya, a intermitência no abastecimento de água que acomete a capital nos últimos meses tem sido um dos fatores que dificultam o enfrentamento contra o vetor em algumas localidades.

 

“Naturalmente, quando não há um fornecimento regular de água nas residências as pessoas buscam se organizar através do armazenamento em recipientes, que são prato cheio para proliferação do vetor se não estiverem devidamente tampados ou cobertos. Infelizmente esse tem sido um aspecto que tem dificultado numa redução ainda mais significativa do índice de infestação já que o armazenamento de água em depósitos a nível de solo é o local onde as equipes de campo mais encontram focos do Aedes aegypti, sendo que esta situação está diretamente ligada à intermitência no fornecimento de água”, declarou Morais.

 

Desde a retomata dos mutirões de limpeza no início de novembro, os agentes de endemias visitaram cerca de 3.800 imóveis das localidades Barragem dos Macacos, Itacaranha, Plataforma, Tubarão, Bonfim, Lagoa da Paixão, Ribeira Uruguai, Canabrava, Nova Constituinte, Rio Sena, Valéria, Castelo Branco, Novos Alagados, São Tomé, Coutos, Paripe e São João do Cabrito. Além disso recolheram mais de 547,8 toneladas de entulho e material inservível, bem como eliminaram entorno de 2.800 depósitos do inseto transmissor.

 

Foto: Reprodução