A piscina olímpica de Salvador, na Orla da Pituba, já tem 80% da montagem realizada e deve ser entregue no dia 18 de junho. A instalação do equipamento faz parte da primeira etapa de construção do Centro Aquático da capital, que terá ainda arquibancadas, sala de administração, sala de árbitros, vestiários, banheiros, academia e subestação – componentes da segunda etapa da obra.

Na primeira etapa, foram realizados o transporte da piscina e de todos os equipamentos do Rio de Janeiro para Salvador, a construção de uma laje em concreto armado e a implantação de placas em aço inox, fixadas por tirantes e escoras. Além disso, a tubulação interligada à casa de máquinas já foi implantada. Com 3 metros de altura, a casa de máquina possui bombas, filtros, casa química e tanque de balanceamento.

Para que a instalação da piscina olímpica seja concluída, resta aplicar o revestimento final em vinil, serviço que será realizado pela equipe da Myrta Pools do Canadá. “Estamos com o cronograma adiantado. Demos início, inclusive, à segunda etapa, que envolve a construção do prédio onde estarão situadas a arquibancada e demais espaços do centro aquático. A previsão de conclusão e entrega de todo o espaço é o mês de outubro”, disse o secretário de Trabalho Esporte e Lazer, Geraldo Júnior.

Dimensões – A piscina mede 25m x 50m, com dois metros de profundidade, e vai atender a crianças e adolescentes em escolinhas de iniciação esportiva, além de atletas de alto rendimento. Com uma arquibancada fixa de 350 lugares e outra móvel, para mais 350 pessoas, o equipamento será utilizado para campeonatos e torneios nacionais e internacionais. O objetivo é tornar o local um grande centro aquático, que abrigará, além da natação, esportes como nado sincronizado, salto ornamental, polo aquático e maratona aquática.

A cessão do equipamento é fruto de um acordo de cooperação técnica entre o município, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel); a Aeronáutica, responsável pela aquisição do equipamento junto ao fabricante; o Ministério dos Esportes, que definiu as cidades que receberiam os equipamentos após as Olimpíadas; e a Myrtha Pools, empresa italiana que fabricou a piscina e será responsável pela montagem na capital baiana.

O centro aquático vai beneficiar 2,5 mil crianças e adolescentes por ano, graças a uma parceria firmada entre a Prefeitura e a Federação Baiana de Desportos Aquáticos. Os alunos serão observados e aqueles que tiverem bom desempenho poderão passar por treinamento especializado para representar a cidade em torneios. Outras faixas etárias também serão atendidas, sobretudo da terceira idade, em aulas complementares, como hidroginástica.

Foto: reprodução site http://www.bestswim.com.br