Com a Operação Chequinho, a Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (22/11) os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. A PF investiga um esquema de troca de votos envolvendo o programa social Cheque Cidadão, na eleição municipal do ano passado. Garotinho e Rosinha, que são casados, figuram como envolvidos nesse crime.

A ex-governadora do RJ foi levada para a sede da Polícia Federal em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Já Garotinho estava no apartamento dele no Flamengo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, quando foi pego pelos policiais federais.

Outro alvo da PF é Suledil Bernardio, que foi secretário de Governo da Prefeitura de Campos durante a gestão de Rosinha. Em sua casa a PF fez buscas antes de o levaram para a sede da PF na cidade

Os advogados do casal afirmaram que esperam ter acesso ao processo para então se manifestarem sobre as prisões e o que farão.

A Operação Chequinho investigou um esquema de compra de votos em Campos. Segundo o Ministério Público Estadual, em troca dos votos, a prefeitura oferecia inscrições fraudulentas no programa Cheque Cidadão, que dá R$ 200 por mês a cada beneficiário.

A operação começou em setembro de 2016, quando o MPE e a PF viram um “crescimento desordenado” do Cheque Cidadão. Em apenas dois meses, o número de inscritos passou de 12 mil para 30 mil. Desde então, a operação prendeu vereadores, eleitores e outros envolvidos no caso. Todos já foram soltos.

Foto: G1 RJ