Para prevenir acidentes provocados pela intensificação do índice pluviométrico na capital baiana, o que historicamente acontece entre os meses de março, abril, maio e junho, a Prefeitura lançou a Operação Chuva 2018, que concentra o reforço a uma série de medidas preventivas e emergenciais que ocorrem de forma rotineira na cidade. A operação está dividida em duas etapas: uma preparatória, que envolve justamente a intensificação das ações de prevenção, e outra de alerta, com intervenções de monitoramento e respostas a situações de risco e desastres.

Todas as ações foram divulgadas na tarde desta terça-feira (13), no Palácio Thomé de Souza, pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do secretário de Cidade Sustentável e Inovação (Secis), André Fraga; do diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sósthenes Macedo; demais gestores, autoridades e imprensa.

“Toda a equipe da Prefeitura já está mobilizada e organizada para trabalhar tanto na prevenção quanto na proteção da cidade, sempre fazendo um apelo para o cidadão, para os moradores de áreas de risco que, por favor, evitem o risco. Procurem a Prefeitura, a Defesa Civil, os demais órgãos municipais para assim, preservar vidas humanas e evitar situações como a que aconteceu hoje em Pituaçu, onde o desabamento de um imóvel causou a perda de quatro vidas”, alertou o prefeito, se solidarizando com as famílias.

Sob a coordenação e execução da Codesal, órgão vinculado à Secis, a operação conta com a participação das secretarias de Manutenção (Seman), do Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), da Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), além da Guarda Civil Municipal (GCM), Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb), Companhia de Desenvolvimento Urbano (Desal) e Prefeituras-Bairro.

Estão previstos investimentos de cerca de R$ 60 milhões em ações de prevenção, a exemplo de obras de micro e macrodrenagem, recuperação de escadarias, tapa-buracos, limpeza de canais e poda de árvores. Para a etapa preparatória, estão previstas ainda continuidade e intensificação de medidas como a implantação de geomantas, limpeza e relonamento de encostas, manutenção de redes de micro e macrodrenagem, plantio e georreferenciamento de mudas, monitoramento de seis áreas de risco da cidade com sistemas de alerta e alarme e sensibilização da população, por meio da formação dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec’s).

A população também está sendo mobilizada a partir da capacitação de voluntários para o Projeto Mobiliza Defesa Civil, que ocorre nas Prefeituras-Bairro. As capacitações são feitas em parceria com diversos órgãos, como a Ouvidoria, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Educação e Secis. Ao todo, a Codesal conta com cerca de mil voluntários cadastrados, integrantes dos Nupdec’s, do Projeto Mobiliza Defesa Civil e inscritos por iniciativa própria.

Esse ano, a Codesal inova com o lançamento do aplicativo Fala Salvador Defesa Civil, por onde será possível solicitar serviços, como uma vistoria do órgão, além de registrar denúncias, sugestões, elogios ou reclamações. Além disso, durante a etapa de alerta, serviços como monitoramento, vistorias técnicas e produção e gerenciamento de mensagens de textos para celulares com informe de ameaças de desastres em áreas de risco serão intensificados.

Durante a Operação Chuva do ano passado, foram realizadas 4.192 vistorias, distribuídos 127.388 m² de lona e cadastradas 1.591 famílias e beneficiadas 956 outras famílias.

Em 2016, a Codesal passou por uma profunda restauração, que incluiu a implantação de equipamentos de ponta no Cemadec. O órgão também realiza simulados de evacuação nas comunidades que já contam com o sistema de sirenes: Pedro Ferrão, Baixa de Santa Rita, Mamede, Bom Juá, Vila Picasso e Calebetão.

Entre as ações preventivas está a aplicação de lonas e de geomantas nas áreas de maior risco. A técnica já foi aplicada em 70 áreas, todas consideradas regiões de alto e médio risco. Ao todo, foram aplicados 19.963 m² de geomantas pela cidade, em localidades como Barro Branco, Avenida Gal Costa e Rua da Alegria. Para 2018, a previsão é de que sejam aplicados mais 30 mil m² do material.

Com investimento total de R$6 milhões, serão beneficiadas também localidades como as ruas Padre Hugo (Cajazeiras VI), Arco do Triunfo (Rio Sena) e Baía de Todos-os-Santos (Cabula), além da Travessa Padre Hugo e Rua Papa Capim (Pau da Lima/Canabrava). Periodicamente, são efetuadas vistorias nas áreas onde estão instaladas.

Em 2017, a Superintendência de Obras Públicas (Sucop) realizou a contenção de encostas nos bairros Arraial do Retiro, Cosme de Farias, Federação, Vale das Pedrinhas, Novo Horizonte e Barro Branco (1ª etapa). Este ano, estão sendo feitas as contenções do bairro Sete de Abril, na Rua da França e no Barro Branco (2ª etapa). Ano passado, foram investidos aproximadamente R$ 15,6 milhões nessas obras. Em 2018, estão sendo investidos R$ 5,3 milhões nas duas encostas em execução.

A Defesa Civil conta ainda com 38 pluviômetros e sistemas de alerta e alarme como oito sirenes instaladas em seis áreas de risco: Marotinho (Bom Juá), Baixa de Santa Rita, Baixa do Fiscal (Pedro Ferrão), Alto da Terezinha, Calabetão e Vila Picasso (Boa Vista de São Caetano). A equipe técnica já procedeu a vistoria em todos os locais onde estão localizadas as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme Sonoro, onde se procedeu, quando necessária, a manutenção preventiva.

Mais uma mudança realizada a partir deste ano, visando fortalecer a atuação na redução de riscos de acidentes, é a criação do Projeto Mobiliza que será implementado pelo aplicativo Fala Salvador, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Gestão (Semge), em fase de testes. O aplicativo permitirá rápida informação de um ocorrência e posterior agilidade das ações dos órgãos públicos na solução dos problemas.

Além das ações preparatórias, o período chuvoso também servirá para realização de ações de sustentabilidade. Por meio da Secis, será intensificada a arborização da cidade, com o plantio de mudas de árvores diariamente até o mês de setembro em grandes áreas públicas e praças, por exemplo. A iniciativa contará com o georreferenciamento das espécies, basicamente nativas da Mata Atlântica, que pode ser feito e acompanhado pelo site www.minhaarvore.salvador.ba.gov.br.

A Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) realiza serviços como prestação de atendimento a indivíduos ou grupos que foram vítimas de situações de acidentes, acolhimento imediato em condições dignas e de segurança, manutenção de alojamentos provisórios, quando necessário, realização de encaminhamentos necessários para a população atingida e promoção de acesso à rede socioassistencial.

O órgão também garante a concessão de benefícios eventuais, como auxílio moradia, no valor de R$300 por mês, até que o problema seja sanado; auxílio emergência, no valor de até três salários mínimos, conforme as perdas de bens em decorrência das consequências das chuvas; além de cestas básica, kits dormitórios, de higiene e limpeza, acolhimento provisório e auxílio documentação.

 

 

Foto: Valter Pontes/Secom PMS