No primeiro trimestre deste ano, 1.051 empregos formais foram gerados no município de Salvador, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O número representa um alívio para a economia soteropolitana que, no mesmo período de 2017, registrou a perda de 5.415 postos de trabalho.

A área de serviços desponta como principal vetor desta retomada na geração de empregos no trimestre. Já com o montante acrescido do número de trabalhadores informais, o setor registrou 1.911 postos criados, seguido da construção civil (450), serviços de utilidade pública (364), administração pública (247) e indústria de transformação (20).

“A criação de 1.051 empregos formais é um resultado excelente, sobretudo em relação ano anterior, quando tantos postos formais foram perdidos. O comércio, entretanto, figurou entre os setores que mais perderam postos de emprego, muito provavelmente um reflexo do ajuste nas contratações temporárias realizadas no ano passado”, destaca o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Sérgio Guanabara.

O secretário atribuiu o crescimento na geração de empregos formais às ações do programa Salvador 360, implantado entre o segundo semestre de 2017 e o início de 2018. “A retomada se dá gradativamente e tende a crescer cada vez mais, a partir dos investimentos públicos e privados em setores como a construção civil, em projetos como o novo Centro de Convenções de Salvador, por exemplo. A expectativa é de um crescimento ainda maior a partir do segundo semestre deste ano”, concluiu Guanabara.