A Santa Casa da Bahia vai compartilhar sua experiência de décadas de gestão hospitalar eficiente e assistência qualificada à população na administração do Hospital Municipal de Salvador. Com um total de 210 leitos – 30 de UTI (adulto e pediátrico), 150 de clínica médica cirúrgica e 30 de clínica pediátrica, o primeiro hospital municipal da capital baiana está funcionando na Boca da Mata, próximo a Cajazeiras, onde estão sendo atendidos casos de urgência, emergência e ambulatoriais. A unidade foi inaugurada ontem, dia 4 de abril, pelo prefeito ACM Neto.

Para gerir o equipamento público nos próximos cinco anos, a Santa Casa da Bahia foi selecionada, enquanto Organização Social (OS), mediante chamamento público realizado pela Prefeitura Municipal de Salvador. A reconhecida expertise da instituição na área de gestão hospitalar, segundo o provedor da Santa Casa, Roberto Sá Menezes, vai contribuir para que o Hospital Municipal de Salvador funcione com sinergia e alta eficiência.

“Construído de forma muito qualificada pela gestão municipal, este hospital público será um local de cuidados humanizados, diagnósticos precisos e intervenções qualificadas e resolutivas, que reforçarão o secular papel da Santa Casa da Bahia de prestar serviços de qualidade à população”, afirma Roberto Sá Menezes.

O atendimento, exclusivo para pacientes do SUS, começou no dia de 4 de abril e será escalonado progressivamente em duas etapas – envolvendo a primeira e segunda quinzenas do mês. No dia da inauguração foram disponibilizados para atendimento dez leitos de UTI, três salas cirúrgicas e 30 leitos de internação.

Já começaram a funcionar também os serviços de imagem e laboratório, a agência transfusional, a central de material e esterilização e o setor de Emergência, a princípio com demanda referenciada por meio do encaminhamento de pacientes oriundos das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Ao final da primeira quinzena de abril, mais precisamente no dia 15, a capacidade de internação do Hospital Municipal de Salvador será dobrada, quando passam a ser ofertados mais 30 leitos de internação. Já no dia 30 de abril, a unidade terá novamente a capacidade de funcionamento ampliada e passará a contar com 90 leitos de internação. Também a partir do dia 30 de abril, começará a ser ofertado atendimento domiciliar a 60 pacientes/mês que apresentarem condição de alta hospitalar, mas ainda necessitem de alguns cuidados assistenciais. Nessa mesma data, o Setor de Emergência do hospital inicia o funcionamento em sistema porta aberta para atendimento adulto e pediátrico, utilizando a classificação de risco no acolhimento de pacientes.

O superintendente de Saúde da Santa Casa da Bahia, Eduardo Queiroz, destaca a motivação da equipe profissional da Santa Casa da Bahia para ofertar ao SUS uma assistência de qualidade, que prioriza o acesso, acolhimento, satisfação dos usuários, além de custos e produtividade competitivos.

Sobre a Santa Casa da Bahia

Fundada em 1549, mesmo ano da cidade de Salvador, a Santa Casa da Bahia foi a única entidade do Estado a prestar assistência aos baianos por cerca de 200 anos. Hoje, além de atuar na área de saúde, presta serviços em ensino e pesquisa, cultura, assistência social e educação infantil. Fazem parte da Santa Casa da Bahia o Hospital Santa Izabel, a Casa de Saúde Solange Fraga, a Unidade Álvaro Lemos, o Museu da Misericórdia, a Pupileira, o Centro de Memória Jorge Calmon, o Cerimonial Rainha Leonor, o Cemitério Campo Santo, seis Centros de Educação Infantil, o Programa Avançar – Centro de Referência em Promoção Social e Capacitação do Bairro da Paz e outros projetos. A Instituição ainda administra os Multicentros de Saúde Amaralina Dr. Adriano Pondé e Vale das Pedrinhas, da Prefeitura Municipal de Salvador.