Com objetivo de agilizar os procedimentos realizados nos circuitos do Carnaval, o Departamento de Polícia Técnica (DPT) leva para três Postos Policiais Integrados (PPIs) e Avançados, o Sistema de Gestão de Laudos Periciais (DPT/SIS), que permite a emissão dos documentos relacionados a constatação de drogas, lesões corporais leves e identificação civil.

De acordo com a perita criminal e coordenadora da instituição no Carnaval 2018, Dayana Barbosa, o DPT/SIS será utilizado nos três PPIs e em dois postos avançados para auxiliar o trabalho do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil, nas apreensões de entorpecentes. “Se não fosse esse sistema, seria impossível fazer e entregar os laudos nos próprios circuitos. O cidadão teria que ir até a sede do DPT para realizar o exame de lesões corporais”, explica Barbosa.

Segundo o diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão, existe uma sinergia absoluta entre as polícias Técnica e Civil, no decorrer do Carnaval. “Importantíssimo, pois evita o deslocamento das nossas equipes para a sede do DPT, nos Barris. Então colabora com a nossa logística de trabalho, agiliza o tempo, e no final, faz com que os policiais fiquem mais tempo nas ruas”, afirmou Sansão, lembrando ainda que, no Carnaval do ano passado, 1.489 procedimentos foram realizados somente pelo Draco, todos com laudos de constatação de drogas. “Imagine ter que levar todos esses suspeitos e os entorpecentes para os Barris?”, enfatizou o delegado.

Para a perita médica Tatiana Paraíso, o DPT/SIS, além de disponibilizar a informação já consolidada, viabilizando o laudo na hora, permite que os delgados realizem os procedimentos com mais agilidade.