Em maio, Mark Zuckerberg anunciou que o Facebook estava desenvolvendo um produto de namoro online. Inspirado no Tinder, o Facebook Dating foi lançado oficialmente nesta quinta-feira, 20, ainda em fase de testes e somente em um país, Colômbia.

O TechCrunch teve acesso à versão atual do serviço, que funciona como uma aba dentro do aplicativo principal do Facebook. Nathan Sharp, gerente de produto do Facebook Dating, detalhou como a plataforma funciona e todos os cuidados tomados para impedir que a ferramenta se torne um vetor de abuso online.

 

 

 

Para começo de conversa, o Facebook Dating só vai aparecer de maneira opcional para usuários maiores de 18 anos que se declarem solteiros na rede social. Ao topar fazer parte do programa, o usuário poderá criar um perfil quase do zero. As únicas informações do seu perfil principal que são levadas ao Dating são seu primeiro nome, idade e localização.

O usuário pode escolher fotos do seu perfil original para o perfil do Dating, assim como imagens que tenham sido compartilhadas através do Instagram. O aplicativo também recomenda destacar pontos a respeito da sua personalidade, como “o que é um dia perfeito para você?” e “que música te faz cantar em voz alta?”.

Tudo isso além de informações mais objetivas, como profissão, educação, religião, altura, gênero, orientação sexual e se tem filhos ou não. A partir daí, o Facebook Dating começa a te mostrar possíveis pretendentes – pessoas que, como você, tomaram a iniciativa de se cadastrar na plataforma e fizeram um perfil lá. Pessoas de fora do Dating não podem ver quem está dentro.

Pretendentes

O Facebook limita a lista de pretendentes a pessoas localizadas num raio de 100 quilômetros a partir de onde você está. A rede social diz que é para impedir que as pessoas fiquem de “webnamoro”, flertando apenas pela internet, e para que elas saiam de casa e encontrem-se pessoalmente com seus pretendentes.

Além disso, por padrão, são mostrados perfis que têm amigos em comum ou interesses em comum – interesses que o Facebook coleta a partir do seu perfil, como as páginas e posts que você curtiu, por exemplo. É possível, manualmente, configurar o app para mostrar somente pessoas completamente estranhas, sem amigos em comum, se o usuário preferir.

Pessoas que são suas amigas no Facebook não aparecem no Dating, mesmo que elas também estejam na plataforma. A rede social diz que faz isso porque uma das principais preocupações de usuários é: “meus amigos e minha família vão ver que estou aqui?”. A resposta é não. A empresa também acredita que, se duas pessoas já são amigas no Facebook, elas não precisam de um app de namoro para se conhecer melhor.

Deu match!

No Tinder, você precisa deslizar um card para a direita para “curtir” um candidato e para a esquerda se “não curtiu”. No Facebook Dating não tem nada disso. Os perfis não são exibidos em forma de cards, mas em lista, com destaque à personalidade, não às fotos. Além disso, o “match” funciona de forma diferente.

Para demonstrar interesse numa pessoa, você deve enviar uma mensagem para ela. Esse chat é aberto apenas dentro do Facebook Dating e não aparece no Messenger, com suas outras conversas da rede social. Se a pessoa não responder, você não pode mandar outra mensagem. Se ela responder, é sinal que houve interesse. “Deu match”, no jargão de quem usa Tinder.

Além disso, o chat permite apenas texto e emojis. Não é permitido encaminhar fotos ou vídeos. Com esse sistema, o Facebook pretende limitar comportamento abusivo: uma pessoa não poderá ficar lotando a caixa de mensagens do seu interesse se não for correspondida; e nada de “nudes” indesejados, graças ao bloqueio de fotos e vídeos.

Nada impede, é claro, que a conversa migre para o Messenger ou para o WhatsApp, se os dois usuários quiserem. Além disso, o Facebook diz que começou os testes em apenas um país para monitorar como a ferramenta cresce e é usada, com o objetivo de tratar rapidamente de possíveis abusos que não foram previstos.

Cada pessoa pode demonstrar interesse – isto é, mandar mensagens – para até 100 pessoas diferentes por dia. Neste período de testes, o Facebook só vai exibir pretendentes quando agrupar um número suficientemente alto de usuários da nova ferramenta, o que “não deve levar meses”, segundo Sharp. De acordo com os resultados dessa fase de testes, o Facebook Dating pode se expandir para mais países ou voltar à estaca zero.

Fonte: Olhar Digital