Para candidatos em 13 estados e no Distrito Federal, haverá disputa, nos próximos 20 dias, de olho no segundo turno (dia 28 de outubro) e com algumas peculiaridades, a participação de nomes que não eram apontados entre os favoritos e outros que estavam na liderança e perderam o privilégio na abertura das urnas.

Em Minas Gerais, no Distrito Federal e no Rio de Janeiro haverá segundo turno com candidatos em primeiro lugar que não apareciam entre os favoritos.

Eleitores da Rocinha encontram longas filas para votar hoje (7) na garagem do Centro Municipal de Cidadania Rinaldo de Lamare e no Centro de Educação de Jovens e Adultos.

Em Minas, o candidato do Novo, Romeu Zema, conquistou o primeiro lugar, desbancando o governador, o petista Fernando Pimentel, que não conseguiu chegar ao segundo turno, e retirando do tucano Antonio Anastasia o favoritismo.

No Rio de Janeiro, o candidato do PSC, Wilson Witzel, derrotou o ex-prefeito Eduardo Paes (MDB) e retirou do segundo turno o senador e ex-jogador de futebol Romário (Podemos).

No Distrito Federal, houve uma surpresa: Ibaneis, do MDB, que não aparecia nas pesquisas de intenção de votos, foi para a primeira posição, mas o atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), que aparecia em terceiro, conseguiu passar para o segundo turno.

Partidos
Com base nos dados divulgados, o PT e PSB elegeram três governadores cada. O DEM conquistou dois governos. Legendas que só obtiveram um eleito foram MDB, PP, PSD, PHS, PC do B.

Como a disputa ainda não acabou, o quadro partidário ainda pode mudar, considerando ainda que há alianças e acordos negociados para o segundo turno e os futuros governos.

Vitoriosos
Governadores de 13 estados saíram vitoriosos no primeiro turno: Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná e Tocantins.

Fonte: Agência Brasil