O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Salvador – Samu 192 ganhou mais um importante aliado para garantir um tempo resposta mais ágil das ocorrências. Agora, o serviço conta com o apoio de um helicóptero para resgate aeromédico dos chamados em Salvador e Região Metropolitana, fruto de um convênio firmado entre a Prefeitura de Salvador e a Polícia Rodoviária Federal da Bahia.

 

Disponível desde fevereiro desse ano, o equipamento realizou na manhã deste sábado (24), o primeiro resgate de uma vítima de acidente automobilístico na cidade de Candeias. A paciente foi encaminhada para o Hospital do Subúrbio.

 

“A implantação da operação de resgate aéreo reduzirá substancialmente o tempo resposta das ocorrências, sobretudo, dos acidentes de trânsito mais graves e os chamados provenientes das ilhas que até então eram feitos apenas com o auxílio da lancha, que depende muito das condições marítimas para operar. Apesar do convênio ter sido firmado com a Prefeitura de Salvador, o helicóptero está disponível para o atendimento das demandas num raio médio de 150 km na região metropolitana, podendo ser acionado em acidentes na BR-324 ou na Linha Verde, por exemplo”, destacou José Antonio Rodrigues Alves, secretário municipal da Saúde.

 

Até a inauguração do Hospital Municipal, em março, as vítimas resgatadas pelo grupamento aéreo serão encaminhas para os Hospitais da Bahia e do Subúrbio, únicas unidades hospitalares da capital equipadas com heliponto.

 

“O primeiro Hospital Municipal de Salvador que será inaugurado no dia 4 de abril, contará com heliponto e uma sala de cirurgia destacada para otimizar o atendimento imediato dos pacientes provenientes do resgate aéreo, garantindo assim mais agilidade na assistência dentro da estrutura da rede pública do município”, explicou Antonio Rodrigues Alves.

 

A utilização da aeronave está disponível através das solicitações feitas do telefone 192. A equipe médica reguladora será responsável por avaliar e acionar o helicóptero de acordo com o perfil de cada ocorrência.

 

 

Foto: Divulgação/Secom/PMS