O cartório registrou o seu nascimento em 28 de junho de 1945. Ele afirmava que nasceu 10 mil anos antes. Misturando verdade e poesia, maluquez e lucidez, na calculadora cósmica, chegamos a 10072 anos como a idade mais provável de Raul Seixas.

Baiano, roqueiro, fã de Luiz Gonzaga e de Elvis Presley, visionário,  poeta, filósofo, rebelde, inquieto, irreverente, carismático, místico, canceriano, provocador, romântico de muitas paixões, caseiro, filho, amigo, pai, irmão, libertário. Quantos “rauls” cabem em Raul Santos Seixas?

Os fãs o idolatram, viram discípulos, imitam o jeito de vestir,  e o mais importante, o jeito de viver.

Um artista que soube como poucos “brincar de gato e rato” com a censura, e que desafiou corajosamente o governo arbitrário dos militares falando na utópica e anarquista Sociedade Alternativa.

Um repertório rico de sucessos que viraram clássicos: “Ouro de tolo”, “Metamorfose ambulante”, “Gita”, “Maluco Beleza”, “Cowboy fora-da-lei” e tantos outros.

Pai do rock brasileiro, protagonista do primeiro clipe colorido da TV no Brasil.

Criativo, inovador, de fato estava pongado em cometas e discos voadores muito à frente de tudo e de quase todos. Gênio!

Parabéns Raulzito, aniversariante do dia. Tem festa nas estrelas!

Abaixo o clipe de “Gîta” levado ao ar pelo “Fantástico” da Rede Globo em 1974.

foto: acervo do cantor